segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

P976: PARA QUEM POSSA ESTAR PRESENTE...

Lúcio Vieira
O nosso camarigo António Lúcio Coutinho Vieira fez-nos chegar este convite para apresentação de uma obra sua no próximo dia 16, em Torres Novas.

Recorda-se que por esta mesma obra – “25 poemas de dores e amores” – o nosso camarada tinha já recebido em 9 de Setembro passado o Prémio Literário Médio Tejo Edições na categoria de Poesia, não tendo podido estar então presente por motivos de saúde.

Este prémio permitiu-lhe ver a sua obra publicada antes do fim do ano corrente, como estava previsto, para além de um prémio monetário no valor de 500 euros.


sábado, 9 de dezembro de 2017

P975: O "KAMBUTA" FAZ PROVA DE VIDA...

Apresentamos um texto que nos foi enviado pelo nosso camarigo Manuel "Kambuta" Lopes, vítima de um acidente doméstico que o atirou para o Hospital e o impediu de estar presente no nosso último convívio. 
A convalescer em casa - e no estilo que já lhe conhecemos - o Manuel não quis deixar de agradecer o apoio que os amigos lhe proporcionaram. As imagens que enviou não sofreram qualquer alteração, para preservar a genuinidade dos seus sentimentos.
MP

AGRADECIMENTO

A muito custo consegui levantar-me da minha cama para fazer a minha obrigação – tirar duas ou três fotos e escrever algumas palavras de agradecimento.

Informo os meus queridos(as) e bons amigos(as) que felizmente já me encontro deitado na minha caminha, no meu simples e modesto lar.


Tive alta do Hospital Santo André, em Leiria, onde fui bem tratado, Vim para casa para recuperar, mas tenho noção e a certeza de que o meu caso é muito complicado, mas com sangue frio e toda a minha força de vontade de viver vou certamente superar mais este difícil obstáculo.

Do fundo do meu coração quero agradecer a todos os meus queridos e bons amigos – que são a minha «PURA FAMÍLIA» - tudo o que fizeram por mim neste terrível e difícil momento da minha vida. Falando com eles ao telemóvel ou pessoalmente eu ia esquecendo o terrível sofrimento, pois eles transmitiam-me toda a força e coragem de que precisava, o que muito me ajudou.


No momento do acontecimento, um acidente doméstico que me destruiu a prótese da anca direita e todo o fémur, a partir desse momento passou pela minha cabeça o pensamento que era o meu fim, era o triste momento de ir fazer companhia à minha filhinha. Deitado no cimento, ainda tive a lucidez para com a minha boca seca de tanta dor e sofrimento, contactar pelo telemóvel o meu querido amigo Manuel Mendes, contando-lhe o sucedido.

O Manuel é um Senhor que mantém dentro de si toda a bondade; é uma força da natureza inigualável, um Homem com H grande que soube acalmar-me e transmitir à minha esposa os melhores conselhos apontando-nos o melhor caminho para sair daquela terrível situação.

O Manuel Mendes - a quem trato por “Tio Mendes” - ainda teve a amabilidade, iniciativa e sangue frio para transmitir o sucedido pelo telemóvel aos meus queridos e bons amigos Bernardino Peixoto e Miguel Pessoa. Estes amigos tiveram a gentileza de informar todos os meus queridos e bons amigos que, de imediato, tentaram (e conseguiram!) ajudar-me por todos os meios ao seu alcance – contactos por telefone, por mail, comentários no blogue, visitas no hospital, ou incluindo-me nas suas preces.


Amigos, graças a todos vós estou no mundo dos vivos, fruto de toda a força, coragem e ânimo que me transmitiram. A todos vós agradeço do fundo do meu coração. Tudo o que me fizeram até este momento não tem preço.

Como disse, estou em casa a recuperar, mas a procissão só agora saiu da igreja, ainda não entrou no adro. Sei e tenho a certeza de que tenho pela frente um longo caminho, um trilho muito sinuoso cheio de obstáculos muito delicados e perigosos; mas com as forças transmitidas por todos estes bons e queridos amigos, nomeadamente os meus camaradas combatentes do Ultramar, vou certamente conseguir ultrapassar com êxito este obstáculo.

AMIGOS, EM FRENTE QUE ATRÁS VEM GENTE!..

Manuel Kambuta dos Dembos 

domingo, 3 de dezembro de 2017

P973: UMA PERSPECTIVA INTERESSANTE...

Tirado da Net, sem identificação de autor. Para meditarmos... e, melhor ainda, pormos em prática...



terça-feira, 28 de novembro de 2017

domingo, 26 de novembro de 2017

P970: O "KAMBUTA" ESTÁ COM BAIXA

ACIDENTE CASEIRO ATIRA O "KAMBUTA" PARA O HOSPITAL


Lamentavelmente acabámos de retirar o Manuel "Kambuta" Lopes e esposa Hortense da lista de inscritos para o nosso convívio do próximo dia 29 de Novembro. Através do seu amigo Manuel Nunes Mendes foi-nos dada a notícia da sua indisponibilidade para estar presente devido a um acidente ocorrido na sua casa, que veio agravar dramaticamente as condições da sua perna já maltratada do anterior.

O Kambuta encontra-se hospitalizado no Hospital de Leiria aguardando a decisão dos médicos a tomar nos próximos dias e que passará muito provavelmente por uma intervenção cirúrgica.

Um retrocesso na situação estável que o "Kambuta" atravessava - segundo as suas próprias palavras - e que não podemos deixar que o possa abater. Um contacto amigo e umas palavras solidárias poderão ajudar este nosso camarigo a atravessar este episódio negativo da sua vida. E sabemos que ele tem em nós um grupo de amigos que irão apoiá-lo neste momento menos bom.

Os editores

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

P967: REVISTA "KARAS" DE NOVEMBRO



Uma arreliadora avaria, já em plena vila de Monte Real, fez atrasar a chegada do Miguel Pessoa ao local da concentração. Enquanto esperava pelo apoio do ACP para substituir a bateria do carro, a Giselda e a irmã Nair avançaram para o local, aqui fazendo companhia ao Artur Soares e ao Jaime Brandão - este último só de passagem, para dar um abraço ao pessoal.


Um grupo habitual nos nossos encontros - o Diamantino Ferreira, António Sousa, Manuel "Kambuta" Lopes e Almiro Gonçalves. Este último passou momentos difíceis durante os recentes incêndios nas matas nacionais do pinhal de Leiria, tendo visto em risco a sua habitação em Carvide.


Um friso de senhoras presentes no convívio - Isabel Gaspar, Hortense Mateus, Helena Frade, Giselda Pessoa e Nair Antunes.


O José Manuel Coutinho Quintas e o Vitor Junqueira lá vão aparecendo, embora não sejam dos mais assíduos... E o António Nobre aparece aqui na companhia do Virgolino Ferreira, por ele inscrito.


No momento da foto da praxe, antes da ida para o almoço, lá apareceu finalmente o Miguel Pessoa, já com o problema do carro resolvido. Felizmente o Kambuta tinha tirado algumas fotos durante a concentração no Café Central, o que garantiu a reportagem da parte inicial, que o nosso editor não tinha podido acompanhar.


O Manuel Mendes e o Kambuta ladeiam o Manuel Frazão Vieira. Todos eles têm sido assíduos participantes nos nossos convívios... assim como o António Sousa e o Vitor Caseiro, que também não costumam faltar. Já o Carlos Manata e o Carlos Prata têm dias sim... e dias não...



O Luís Branquinho Crespo partilhando a mesa com a família Gaspar. O Agostinho, esse lá continua a fazer o pleno das presenças nos nossos convívios . Vai em 64!...
O JERO vai folheando a agenda para não falhar nenhum compromisso . E é vê-lo apressado no fim do almoço para regressar a Alcobaça e dar uma saltada ao "seu" jornal - o Cister - para ver como estão indo as coisas...



O Silvino Correia d'Oliveira "baldou-se" no encontro anterior devido a outros compromissos, mas desta vez conseguiu estar presente. O António Sousa, ao seu lado, esse não tem falhado nenhum convívio...
O casal Gonçalves - Almiro e Amélia - já nos habituou à sua presença. E não falhou - mais uma vez.


O Manuel Mendes por vezes aparece sozinho, que alguém tem que ficar a tratar dos netinhos... Aqui, o Almiro Gonçalves faz-lhe companhia.
Um grupo variado na foto da direita; Em primeiro plano o Carlos Santos, que se fazia acompanhar pelo Raul Santos e José Carvalho. Ao fundo o Vitor Junqueira e o José Pimentel de Carvalho. De pé, o Miguel Pessoa e o Kambuta.



O António Frade e esposa Helena vinham desta vez acompanhados por um estreante, o Fernando Cabeço Cação, que fez a sua comissão em Moçambique.
Como vem sendo hábito o Rui Marques Gouveia vinha acompanhado pelo cunhado, José Jesus Ricardo.



O casal Lopes - Manuel e Hortense - partilhou a mesa com o Miguel Diniz. Noutro canto o DiamantinoFerreira e Emília tinham a companhia do Manuel Frazão Vieira e do Benjamim Mira Dinis.



Uma panorâmica dos dois lados da mesma mesa. Desfalcada de metade do grupo, a dupla sobrevivente de Aveiro - Manuel Reis e Carlos Prata - rodeou-se de reforços: De um lado o Artur Soares e o José Luís Rodrigues, do outro o Carlos Manata e o Vitor Caseiro.



O Manuel Kambuta Lopes foi de grande ajuda neste encontro pois garantiu a cobertura fotográfica da fase incial do convívio na ausência forçada do editor/fotógrafo da revista "Karas". E a dupla responsável pelas contas do almoço - Vitor Caseiro e Carlos Santos - mais uma vez realizou um excelente trabalho. Os nossos agradecimentos a este trio, sempre pronto a colaborar.